Haddad diz que Bolsonaro cultiva a ditadura e será competitivo em 2022

Haddad diz que Bolsonaro cultiva a ditadura e será competitivo em 2022

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) disse em entrevista ao Poder em Foco, transmitido pelo SBT, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não é um democrata e que "se puder, exercerá o poder absoluto". O petista afirmou ainda que Bolsonaro "cultiva a ditadura".

Perguntado se Bolsonaro tivesse oportunidade de fechar o Congresso, Haddad disse que "a convicção de que ele vai exercer o poder absoluto de puder. Ele não é um democrata. Se puder, ele exerce poderes ditatoriais. O Bolsonaro é exatamente isso, é um candidato a ditadura".

Para o petista, derrotado por Bolsonaro nas eleições de 2018, o presidente está enfraquecido popularmente.

"É que ele não está popular, então fica limitado. Mas ele não tem compromisso com a democracia, nenhum", afirma Haddad.

Quando questionado se Bolsonaro será competitivo nas eleições de 2022, o petista disse que sim por causa da crença de parcela da população em uma possível volta da ditadura

"Acredito que sim. Se você fizer uma pesquisa no Brasil de quantas pessoas querem a volta da ditadura, vai ver que esse número quase nunca foi inferior a 20%. E o Bolsonaro de alguma maneira representa esse anseio. Quem vota no Bolsonaro de certa maneira tem a esperança de que ele venha a fechar o regime. Fechar o Congresso, cassar a oposição, fechar o Supremo. Acho que existe da parte de 15%, 20% da população uma má compreensão do que é a democracia", disse Haddad.