Policial

´Conselheiro´ de facção que ordenou incêndio de ônibus em JP é transferido para Paraíba

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), foi até o Rio de Janeiro buscar o conselheiro de uma organização criminosa que deu a ordem para incendiar um ônibus em João Pessoa, no bairro de Padre Zé, em julho de 2023.

Por PCV Comunicação e Marketing Digital

24/06/2024 às 12:39:25 - Atualizado há

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), foi até o Rio de Janeiro buscar o conselheiro de uma organização criminosa que deu a ordem para incendiar um ônibus em João Pessoa, no bairro de Padre Zé, em julho de 2023. A escolta chegou à Paraíba na noite desse sábado, 22 de junho.

O criminoso estava preso em um presídio do RJ e era um dos principais alvos da Operação Renita, cujas investigações tiveram início há mais de um ano, com o foco na desarticulação de grupos criminosos do Rio de Janeiro que tentam se estabelecer na Paraíba.

Em fevereiro de 2024, a Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão em seu desfavor, fruto das investigações que o apontam como o mandante do incêndio ao ônibus na capital paraibana. O veículo foi incendiado com pessoas ainda lá dentro, o que acabou ocasionando a morte do motorista, dias depois, no Hospital de Trauma de João Pessoa.

"Foi, certamente, a prisão mais importante dentro do atual contexto, pois se trata de um criminoso com forte influência na facção e, obviamente, não poderia sair impune desse crime tão grave. É nesse foco principal que a Polícia Civil atua: investigar, prender, apresentar à justiça e diminuir a sensação de impunidade em nosso estado", disse o delegado-geral da PCPB, André Rabelo.

Operação Renita

O 'Dia D' da Operação Renita aconteceu na quarta-feira, 19 de junho, quando a Polícia Civil e o GAECO cumpriram 50 mandados de busca, prenderam 32 alvos, apreenderam armas de fogo e 100 quilos de entorpecentes. As ações contaram com o apoio da Secretaria da Administração Penitenciária.

"Foi a maior operação policial deflagrada nos últimos anos na Paraíba, construída genuinamente em trabalho investigativo, com provas técnicas e resultado absolutamente exitoso. Seguindo as diretrizes da política de segurança do governo do estado, a Polícia Civil não medirá esforços para combater o crime organizado na Paraíba", declarou André Rabelo.

Relembre o caso

Na noite do dia 18 de julho, dois homens armados invadiram o coletivo que faz a linha 600, entre os bairros de Bessa e Varadouro. Na ação, eles obrigaram o motorista e cinco passageiros a permanecerem no ônibus, atiraram garrafas com combustível e atearam fogo.

A PM foi acionada e resgatou as três vítimas, que foram levadas para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. As outras duas pessoas que estavam no ônibus conseguiram fugir antes que as chamas consumissem o veículo. Dias depois, o motorista do coletivo, Silvano da Silva, teve 54% do corpo queimado e ficou internado no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

>>> Clique aqui e saiba mais notícias sobre este caso.

Na foto, do lado esquerdo, o motorista do coletivo que não resistiu aos ferimentos e morreu. Imagem ilustrativa – (Foto: Redes Sociais)

Leia mais:

Operação cumpre mandados na PB e RJ contra membros de facção responsável por tráfico e homicídios

Bandidos incendeiam ônibus no bairro Padre Zé; motorista e passageiros ficam feridos

Comunicar erro
Portal Conceição Verdade

© 2024 Todos os direitos reservados ao Grupo PCV Comunicação e Marketing Digital
REDAÇÃO: 83-9.9932-4468

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Portal Conceição Verdade