Anuncie Aqui - Local 01

Governo das Filipinas vai revisar política de contratação após embaixadora agredir empregada doméstica no DF

Por PCV Comunicação e Marketing Digital em 29/10/2020 às 13:37:13
Anúncio foi feito pelo Departamento de Relações Exteriores do país. Comunicado acontece três dias após Marichu Mauro ser flagrada por câmeras de segurança cometendo crime. Câmeras de segurança flagram embaixadora das Filipinas agredindo empregada

O governo das Filipinas divulgou, nesta quarta-feira (28), que vai revisar a política que permite que diplomatas do país levem empregados domésticos à outras nações. O anúncio foi feito pelo Departamento de Relações Exteriores do país, o Department of Foreifn Affairs (DFA), após reportagem do Fantástico revelar agressões cometidas por Marichu Mauro, embaixadora das Filipinas no Brasil.

Imagens do circuito interno de câmeras da residência oficial, em Brasília, flagraram Marichu dando tapas e puxões de orelha em uma funcionária(veja vídeo acima). Na segunda-feira (26), o DFA divulgou que o governo determinou a volta de Marichu Mauro ao país.

De acordo com o departamento, a ideia é que os diplomatas deixem de levar filipinos para trabalhar no exterior e passem a contratar mão de obra local, de nacionalidade do país onde estiverem.

Embaixadora das Filipinas, Marichu Mauro, durante agressão à funcionária dentro da residência da embaixada, em imagem registrada pelo circuito interno de televisão em 19 de outubro

TV Globo/Reprodução

Entretanto, para que a investigação tenha início, o DFA tenta autorização com a presidência do país. A entidade ainda disse que não tolerará ações desse tipo dos diplomatas.

O DFA reforçou que dá atenção especial para o assunto e que todos os diplomatas do país tem um padrão para seguir a profissão, além de ter "compromisso juramentado com o serviço público".

"O DFA não tolerará de forma alguma as ações de qualquer um de seus oficiais de classificação ou equipe que vão contra nosso mandato principal, que é a promoção e proteção do bem-estar de todos os filipinos estrangeiros [em redução livre]", destacou o texto.

Saída de Marichu do país

Embaixada das Filipinas em Brasília

Walder Galvão/G1 DF

Apesar do governo ter solicitado a saída de Marichu do país, o G1 tenta confirmar se ela deixou o Brasil. Nesta quinta-feira (29), a reportagem compareceu à Embaixada das Filipinas, entretanto, não conseguiu informações sobre o paradeiro da diplomata. Os funcionários do local afirmaram que foram "claramente orientados a não comentar sobre o assunto".

A reportagem entrou em contato com o Itamaraty – o Ministério das Relações Exteriores – e questionou sobre a saída de Marichu do Brasil. Em nota, o órgão disse: "sugere-se dirigir consulta à Embaixada das Filipinas no Brasil".

O G1 tenta contato com a Embaixada das Filipinas desde segunda-feira (26), entretanto, não obteve resposta.

Mais agressões sob investigação

O Ministério Público do Trabalho (MPT) investiga outras agressões cometidas por Marichu Mauro, contra funcionários da residência diplomática. A procuradora do MPT à frente do caso, Carolina Mercante, explicou que o órgão atua "de uma forma global", em relação à embaixada. "O nosso objetivo é apurar se outros trabalhadores, sejam brasileiros, empregados diretos ou não, estão tendo seus direitos fundamentais violados", disse.

A procuradora afirmou ainda que a Embaixada das Filipinas tem 12 trabalhadores, sendo três brasileiros.

"Uma testemunha que ouvimos nos informou que, pelos vídeos, que não têm áudio, era possível ver as agressões verbais em relação aos demais funcionários", comentou.

O caso

As agressões da embaixadora Marichu Mauro contra a empregada doméstica foram registradas por câmeras da residência oficial, que ficam nos fundos da embaixada, em Brasília. Um funcionário, que não quis se identificar, viu as imagens e fez um pente fino nas gravações junto com um colega.

Eles descobriram que a vítima era agredida praticamente toda semana. Em 12 de março, por exemplo, as câmeras mostram um momento em que a diplomata parece discutir com a funcionária. De repente, Marichu Mauro dá um tapa no rosto da empregada. A agressão é interrompida no instante seguinte, quando uma pessoa aparece abrindo uma porta.

Marichu B. Mauro, embaixadora das Filipinas, durante assinatura do Livro dos Embaixadores, em abril de 2018

Isac Nobrega/PR

Em 19 de agosto, as duas aparecem tentando consertar uma porta. Enquanto a empregada está abaixada, a diplomata dá um puxão nas orelhas da vítima.

Imagens de 15 de outubro mostram a embaixadora tentando beliscar a funcionária. Ela ainda arranca a máscara de proteção que a empregada usa no rosto.

A mulher agredida tem 51 anos e deixou o Brasil na semana passada. Os representantes do país disseram que ela voltou para as Filipinas, de onde vai contribuir com as investigações.

VÍDEOS: veja os mais vistos no G1 em 1 minuto Distrito Federal

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Fonte: G1

Comunicar erro
Paraiba de Premios
Anuncie Aqui - Local 03