Anuncie Aqui - Local 01

Ministério da Agricultura registra 4 casos de sementes clandestinas recebidas pelo correio

Por PCV Comunicação e Marketing Digital em 18/09/2020 às 11:39:30
Em todas as situações, material não foi comprado ou solicitado pela pessoa. Embalagens dizem que os produtos vieram da China. País nega envio e diz que etiquetas foram falsificadas. Sementes chegaram para morador de SC junto com encomendas de decoração

Gabriel Zapella/Arquivo pessoal

O Ministério da Agricultura já registrou 4 denúncias de pessoas que receberam sementes não identificadas sem que houvesse a encomenda do produto. As etiquetas que constam nas embalagens dizem que os produtos vieram da China, que nega o envio (leia mais abaixo).

De acordo com o governo federal, o primeiro pacote misterioso foi relatado no Rio Grande do Sul, na primeira semana de setembro.

Depois, moradores de Santa Catarina, Goiás e Mato Grosso do Sul também denunciaram o recebimento das sementes. O governo não descarta novas denúncias porque, em outros países, houve uma situação parecida.

Cidasc alerta para riscos com recebimento de sementes clandestinas

O ministério afirma que ainda não foi possível apurar quais os riscos envolvidos nesses materiais, pois ainda estão em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Goiânia.

"É importante que a população saiba que a entrada de sementes no Brasil só pode ter como fornecedores países com os quais o MAPA (Ministério da Agricultura) já tenha estabelecido os requisitos fitossanitários. Esse material deve ser certificado pelas autoridades fitossanitárias do país exportador", explica o governo, em nota.

O que fazer?

O Ministério da Agricultura orienta que, aqueles que receberem pacotes de sementes de origem desconhecida, não as utilizem e que procurem a unidade do ministério no seu estado para entregar o pacote recebido.

"Se for feita a importação de sementes de origem desconhecida, o país corre o risco de ter a introdução de novas pragas, que podem comprometer a produção de determinada cultura, provocando aumento da demanda de uso de agrotóxico para viabilizar a produção, redução da disponibilidade do produto ao consumidor e elevação dos preços."

China nega envio

Em nota, a Embaixada da China no Brasil diz que segue a legislação internacional sobre o tema, em que é proibido o envio de sementes.

O país afirma também que enviou imagens dos pacotes recebidos para análise do China Post, o correio chinês, para analisar o ocorrido.

"Após verificação com o China Post, essas etiquetas de endereço se revelaram falsas com layouts e informações errôneas."

Problemas parecidos nos EUA e Canadá

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, em inglês) abriu uma investigação para apurar a chegada de diversos pacotes de sementes misteriosas vindos, em sua maioria, da China.

O USDA disse que identificou mais de uma uma dúzia de espécies de plantas. O que intriga as autoridades é que o produto chegou na casa de milhares de americanos sem ter sido comprado ou solicitado.

"O Serviço de Inspeção de Sanidade Animal e Vegetal do USDA (Aphis) está trabalhando em estreita colaboração com a Alfândega e Proteção de Fronteiras do Departamento de Segurança Interna, outras agências federais e departamentos estaduais de agricultura para investigar a situação", disse o departamento.

Os pacotes também foram vistos no Canadá, onde o governo postou um alerta contra "sementes estrangeiras enviadas pelo correio da China ou Taiwan".

VÍDEOS: tudo sobre agronegócio

Fonte: G1

Paraiba de Premios
Anuncie Aqui - Local 03