Amigos e familiares parabenizam Fidelis Mangueira pela passagem do seu Aniversário!

Fidelis Mangueira também é repórter voluntário e colunista do Portal Conceição Verdade e TV o VALE, agente de pastoral da Igreja Católica! Por isto é uma pessoa muito conhecida e admirada em todo o município de Conceição.

Amigos e familiares parabenizam Fidelis Mangueira pela passagem do seu Aniversário!

Quem está aniversariando hoje dia 31 de julho é Fidelis Mangueira, ex-secretário de educação, cultura, esporte, lazer e assistência social de Conceição. Neste dia ele está completando 49 anos de idade. E os seus amigos e familiares aproveitam este dia para lhe desejar um feliz aniversário, com muitos anos de vida, saúde e prosperidade!

Eles reconhecem o amigo e irmão que Fidelis Mangueira é, e o enorme serviço que ele já prestou a Conceição nos mais diversos campo, tanto na educação, cultura, esporte, lazer, assistência social e nas comunidades católicas.

Fidelis Mangueira também é repórter voluntário e colunista do Portal Conceição Verdade e TV o VALE, bem agente de pastoral da Igreja Católica! Por isto é uma pessoa muito conhecida e admirada em todo o município de Conceição.

Perguntamos para alguns dos seus amigos e familiares, e pessoas que já trabalharam e convieram com ele, quem é Fidelis Mangueira, e tivemos um leque de respostas que que só qualidade a pessoa de Fidelis Mangueira. Para eles Fidelis Mangueira é:

- É diferente! É competente! É decidido! É verdadeiro, amigo e leal! É Criativo, dinâmico, responsável!

- É propositivo, tem projetos e tem ideias de desenvolvimento social, educativo, cultural e de assistência social!

-É Organizado, responsável, compromissado com os idosos, pobres e sofredores! Amigo do homem e da mulher do campo e da cidade! É corajoso, caridoso e solidário!

- É Inteligente, honesto, comunitário, participativo! É gente que faz bem feito e faz bem para Conceição!

É cristão, católico, humano e pecador! Defensor da vida e da esperança, da educação de qualidade, da cultura, da assistência social e do meio ambiente, e dos direitos das mulheres e minorias! É simples, humilde e trabalhador!

CONHEÇA UM POUCO MAIS FIDELIS MANGUEIRA

Vamos conhecer Fidelis Mangueira, professor, psicólogo, filósofo, teólogo, comunicador social.

Ele é filho de Espedito Honório Gomes (Espedito da Cagepa) e de Espedita Mangueira Gomes. Tem cinco irmãos: Fernando, Frederico, Félix, Lourdinha e Patrícia.

Fidelis é neto do saudoso e primeiro farmacêutico de Conceição, Dr. Alfredo Gomes de Sá, e de Dona Mariazinha Gomes.

Ele é sobrinho do ex-prefeito Luís Gomes de Sá, do escritor Sinval Gomes de Sá, do Major Nestor Gomes de Sá, do dentista Alfredo Gomes de Sá e das professoras Hilda Gomes de Moura e Ilza Gomes de Figueiredo.

Ele é neto por adoção de Maria Frade e Bindo Leite, que criaram sua mãe, e neto de Assis Mangueira de Sousa, que é irmã de Maria Mangueira, esposa de José Benício. Ele nos disse que se alegra se ser sobrinho da "Santa em vida" Maria de Zé Benício, e nela tem sua inspiração para sua vida e ações.

Nasceu no dia 31 de julho de 1971, na cidade de Conceição. Estudou desde a educação infantil na Escola José Leite, e da quinta série até os oitavo ano no Colégio Maestro José Siqueira. Aos 17 anos foi morar em Brasilia, onde morou 2 anos, cursando o Ensino Médio. Depois foi estudar em Cajazeiras, no Seminário Diocesano e no Colégio Diocesano Padre Rolim.

Passou maior parte da sua infância e juventude em Conceição. Foi Coroinha da Igreja Matriz de Conceição, catequista, e ajudou a criar o Grupo Jovem JMCC, quando por alguns anos foi seu coordenador. Atuou como agente de Pastoral no Bairro Nossa de Fátima.

Também em Conceição fez parte do Grupo de Teatro Amador de Conceição e da Direção da antiga USEC, como tesoureiro, na gestão de Flávio Mangueira e Gildivan Soares.

Sempre gostou de cantar, dançar, teatro e de participar de tudo da Igreja.

Quanto estava no segundo ano do ensino médio decidiu ir para o Seminário, fazer a experiência de preparar-se para ser padre.

Em Cajazeiras, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, atuou como Coordenador Pastoral daquela paróquia, imprimindo grande dinamismo em todas as pastorais. Ali criou o Grupo Jovem Cantai, Cantai Mirim, Canção Nova, Nova Canção e por último o Movimento Jovens Missionários Católicos, em englobava todos os grupos criados por ele. Este movimento foi a semente para a Comunidade Católica Siloé, que ainda atua na Diocese de Cajazeiras.

Ao terminar o ensino médio, fez vestibular para filosofia, pela UFPB, e foi aprovado, porém decidiu cursar Filosofia no Seminário de Cajazeiras. Após terminar o curso de filosofia fez o vestibular para filosofia na UFPB, e também passou. Dai então passou a cursar Psicologia na UFPB, em João e Teologia, no Seminário da Arquidiocese de João Pessoa.

Atuou em diversas paróquias em João: Bessa, Mangabeira , Cabo Branco, Penha e Nossa Senhora de Fátima. Foi nesta época coordenador da Pastoral da Juventude, do zonal cidade nova, e membro da Comissão Diocesana de Juventude. Como acompanhante da Pastoral da Juventude participou do Congresso da Juventude do Continente Americano, na cidade de Santiago do Chile.

Ao terminar o curso de teologia, passou a morar no Rio Grande do Sul, quando ingressou na Fraternidade Palavra e Missão, e lá foi ordenado Diácono, atuando em Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Porto Alegre. Com o adoecimento dos seus pais, um seguido do outro voltou para a Paraíba, e passou a cuidar de ambos, até a morte dos mesmos.

Neste período voltou atuar na Paróquia de Conceição, com a acolhida e apoio do Padre José Alves de Sousa, que o tinha encaminhado para o Seminário e era seu padrinho Vocacional.

Foi neste época em que foi convidado pela Comunidade nascente de Santo Expedido na Maria Soares, para animar a primeira novena daquela comunidade. E tudo começo debaixo de uma palhoça. Fidelis Motivou a comunidade no seu nascimento, da colocação das primeiras pedras e tijolos da construção até os seus 12 anos de fundação. Neste tempo compôs o Hino e Ladainha de Santo Expedito. Todos se lembram das noites animadas por Fidelis, na Comunidade Maria Soares e sentem saudades.

Após a morte de seus pais, Fidelis decidiu não mais voltar para o Rio Grande do Sul, e pediu licença do Ministério Diaconal e da vida religiosa, e passou a trabalhar na cidade de Patos como psicólogo, por 2 anos, onde desenvolveu um excelente trabalho no Núcleo de Atenção a Saúde da Família.

Atuou firmemente na campanha de eleição do Prefeito Nilson Lacerda, animando carreatas e comícios, bem como os comitês, e trabalhou ativamente na elaboração do Programa de Governo do Prefeito Nilson Lacerda. Após este período foi convidado pelo prefeito Nilson Lacerda para trabalhar na Prefeitura de Conceição, como Secretário de Educação. Nesta função atuou por 3 anos e 4 meses.

Na Secretaria de Educação realizou um exímio trabalho, orientado pelo Prefeito Nilson Lacerda. Acompanhou de perto da vida das escolas, estabeleceu um ritmo de seriedade na educação, com planejamento de aulas semanais, formação continuada dos professores, Programa de Alfabetização na idade certa, e cuidou da melhoria da infraestrutura das escolas, merenda escolar, transporte escolar, internet nas escolas, fardamento escolar, entrega de material didático, jogos escolares e a implantação do Programa Mais Educação. Na Secretaria motivou e realizou a Jornada de Orientação Pedagógica do Pais, alunos e professores, bem como a Jornada de Orientação Vocacional dos Alunos do Ensino Médio de Conceição.

Foi a gestão de Fidelis Mangueira, enquanto Secretário de Educação, que se teve o resgate dos desfiles de 7 de setembro e dia da cidade, que já não aconteciam na cidade a vários anos.

Depois deste período em abril de 2016, passou a atuar como Secretário de Assistência Social, onde em pouco tempo deu uma nova cara a esta secretaria, imprimindo mais dinamismo em suas ações, no CRAS, CREAS, BOLSA FAMÍLIA e Serviço de Convivência de Fortalecimento e Vínculos, passou a ter novas oficinas, como canto, violão, clube de mães, etc. Além disso Fidelis incentivou muito a realização de Campanha Educativas e Sociais, como a de combate ao trabalho infantil, a exploração sexual infantil, respeito aos idosos, combate as drogas, etc.

Além deste trabalho, Fidelis Mangueira está inserido nos trabalhos das comunidades da Igreja, apoiando estas comunidades, orientando, animando-as, etc.

Deste adolescente que Fidelis vem dando uma enorme contribuição as comunidades católicas, pastorais e movimentos por onde ele passou e de modo especial em Conceição. Nos últimos anos, deu uma força enorme na iniciação e organização da Comunidade de São José, no Bairro São José em Conceição, quando vem animando a novena de São José, quando da implantação do Monumento em homenagem ao padroeiro deste Bairro. Além disso iniciou a Novena de São José Operário, e o Terço de São José.

Além do trabalho social, Fidelis está fazendo sempre campanhas sociais, educativas, culturais, ambientais, de inclusão e contra o preconceito e racismo, com os seus amigos pelas redes sociais, seja para conseguir alimentos para uma família carente, ou para ajudar na construção da casa de uma pessoa pobre, ou para conseguir brinquedos para crianças, campanha esta que ele está realizando no momento.

Nos últimos anos Fidelis tem animando com muito dinamismo as novenas das Comunidades Católicas de Conceição, como a do Povoado Campos Velhos, Nossa Senhora de Fátima e Malhada de Baraúnas. Para a Comunidade dos Campos Velhos ele conseguiu a doação de uma imagem de São Francisco, que foi colocada em um monumento ao lado da capela recentemente construída.

Para Terezinha Ferreira, ex diretora da FEBEMAA de Conceição, Fidelis "é um padre sem batina" pelo seu dinamismo, fé, dinamismo, sonhos e projetos. Terezinha foi quem acolheu e inseriu Fidelis na Pastoral da Juventude, CEBS e Pastoral da Criança. Fidelis trabalhou com Terezinha Ferreira como monitor na antiga FEBEMAA, na oficina de picolé.

Para a professora Rejaneide Alves Barbosa, coordenadora pedagógica da rede municipal de ensino de Conceição, "Fidelis tem as mãos de fada, pois onde ele coloca a mão vira ouro, tudo se transforma, pois ele trabalha com amor e dedicação".

Para outras pessoas, e de modo especial para as pessoas que já trabalharam, conviveram, trabalham e convivem com Fidelis é tido "como durão, exigente, mas é extremamente organizado, sistemático, metódico, competente, responsável e saber fazer o que faz, pois entende das coisas que faz, e onde trabalha dá certo." É um excelente comunicador, fala bem, escreve bem e anima como ninguém um grupo, celebração ou comunidade!

Para o Prefeito Nilson Lacerda, segunda uma fala sua no último programa de prestação de contas pela Rádio Educadora, em dezembro de 2016, "Fidelis foi um dos mais competentes secretário dos seus primeiros 4 anos de gestão".

Para a maioria dos professores da Rede Municipal, Estadual e particular de Conceição, depois de Padre José Alves de Sousa, Fidelis Mangueira foi o maior e melhor secretário de educação, que passou por esta pasta até o momento.

Fidelis é devoto de São Francisco de Assis, de Santo Antônio e São José. Tem uma predileção especial por Nossa Senhora da Graças e Santa Madre Tereza de Calcutá.

Ele nos informou que seu lema de vida é: "ir aonde ninguém quer IR, fazer o que ninguém quer fazer, amar e servir quem ninguém quer amar e servir, falar o que ninguém quer falar e tem medo de falar, denunciar o que ninguém tem coragem de denunciar"!

Perguntamos a Fidelis quais eram seus planos para futuro, e ele disse: "O futuro pertence a Deus e meu está em suas mãos! E disse que tem muitos sonhos e projetos, como criar uma Instituto para cuidar dos pobres sofredores e excluídos da sociedade, da cultura de inclusão social, da educação inclusiva e do meio ambiente. Ele disse que estas são suas preocupações maiores.

Perguntamos se ele ainda pensa em ser padre, e ele disse que pediu uma licença do ministério diaconal, mas que esta licença nunca foi deferida, e então para todos os efeitos ele é diácono, e disse: "o sacramento da ordem, assim como o batismo e a crisma, é um sacramento que imprime caráter, e uma vez ordenado, batizado e crismado, pra sempre ordenado, batizado e ordenado". Agora a pessoa pode pedir uma licença do Ministério ou ser suspendo do uso de ordem. No seu caso, ele só pediu uma licença, e mesmo assim nunca recebeu o deferimento.