QUEM AMA SE IMPORTA

QUEM AMA SE IMPORTA



Como igreja, somos uma família, somos um corpo, um organismo vivo, somos membros deste corpo, vivemos em aliança uns com os outros. Temos pactos entre nós, temos compromissos em nossos relacionamentos. O que nos faz viver em comunidade é o amor, ele é que nos move, é o amor em ação que nos faz sensíveis e disponíveis. O texto de Mateus 25.31-46 nos mostra como o amor sensível e disponível se manifesta.

Quem ama, tem a sensibilidade e disponibilidade no fazer as coisas práticas do dia a dia. Quais são estas coisas? Fome, sede, estrangeiro, forasteiro, nudez, enfermos, preso. Estas necessidades fazem parte do nosso dia a dia. Não precisamos ir tão longe. Às vezes elas estão dentro de nossas casas. Elas não são somente físicas, materiais, elas também envolvem nossas emoções: um sorriso, uma atenção, um aperto de mão, um olhar, uma palavra, uma apreciação, um gesto. O amor que se importa me tira da indiferença, do comodismo, do egoísmo, do preconceito. O Pastor Wildo é um exemplo vivo de alguém que viu e continua vendo bem de perto as necessidades. O Pr. Wildo viu os mendigos de uma maneira diferente. Milhares de mendigos passaram pela Missão Vida, em Anápolis, e foram, recuperados.

A sensibilidade e disponibilidade nos levam a nos identificarmos com as pessoas. Jesus se identifica com essas pessoas: estrangeiros, forasteiros, presos, enfermos, famintos, sedentos que são os que ele chamou de " meus pequenos irmãos". Se essas pessoas são irmãos de Jesus, elas são também nossas irmãos. Que honra ter essas pessoas como nossas irmãos. O amor que se importa se identifica com o outro. Será que eu tenho me identificado com as pessoas? Tenho sentido a sua dor? Como diz o belo cântico: "Ame ao teu próximo como se fosse você. Como se a dor que ele sente doesse mais em você" (Vencedores por Cristo). Jesus sentiu tanto a dor de Maria pela morte do seu irmão Lázaro que se comoveu e chorou – João 11.35.

O amor que se importa, nos faz valorizar as pessoas. Numa sociedade preconceituosa, vaidosa, orgulhosa, onde a tendência é excluir as pessoas por motivos fúteis, Deus nos desperta para uma atitude de amor. O amor que se importa é o amor que valoriza a criatura humana. Deus fez e faz isto – Salmo 113.5-9. O Evangelho de Cristo, a graça de Deus torna pessoas humildes, caídas, desprezadas, marginalizadas, indesejadas, verdadeiros lixos, monstros em príncipes e princesas. O amor que se importa nos faz valorizar os pequeninos, os pobres, os famintos, os encarcerados, os nus, os forasteiros.

O amor verdadeiro, nos impulsiona, nos leva a ações práticas. Tanto o governo, as ONGs, os clubes de serviços, as igrejas têm programas, projetos sociais muito bem elaborados só que não saem do papel. Quantos discursos, sermões falando sobre a fome, menores marginalizados, desemprego, drogas, violência. Jesus neste texto, pontua ações bem práticas: "me destes de comer", "me deste de beber", "me hospedastes", "me vestistes", "me visitastes", "fostes ver-me" - Mateus 25.35-36. não basta ficar nas boas intenções, precisamos agir – Tiago 2.14-17; 4.17. O amor que se importa é o amor que age, que tem atitudes práticas e edificantes.

O amor têm como resultado uma colheita feliz. Jesus termina este trecho do evangelho de Mateus 25.31-46 com afirmações claríssimas: "Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo". Que felicidade usufruir do que vem descrito no v 34. graças a Deus pela recompensa, pelo prêmio, pelo galardão. O que fazemos não é para sermos salvos, pois não temos méritos diante de Deus. Servimos aos pequeninos irmãos porque somos sal, somos luz. Servimos porque o amor de Deus nos move, o amor de Deus nos constrange, se importa. Num mundo egoísta, frio, indiferente, individualista, Deus nos chama e nos envia como canais de amor, como agentes do amor. O texto de Mateus 25.31-46 nos chama para sermos pessoas sensíveis e disponíveis. A experiência vivida pelo missionário Dr. Kalley quando se perdeu nas matas durante uma caçada e foi socorrido por uma família humilde que lhe serviu um copo de leite. Tempos depois ele atendeu essa senhora como médico e anotou nas notas de despesas os honorários médicos e despesas hospitalares: "Tudo isto foi pago com um copo de leite". Assim Deus nos ajude. Amém.